História

ASSEMBLEIA DE DEUS NO BRASIL

A ORIGEM

A história da Assembléia de Deus no Brasil que completa seu centenário, começou em 1909 com dois jovens suecos: Gunnar Vingren e Daniel Berg, residentes nos EUA. Dois jovens chamados pra a obra missionária.
Deus usou dois instrumentos poderosos em suas mãos, Daniel Berg e Gunnar Vingren, para deflagrar o maior movimento pentecostal da história contemporânea da Igreja: as Assembléias de Deus do Brasil.
Ambos de origem sueca, membros da igreja batista em seu país, haviam emigrado para a América, em épocas diferentes. Aí, não somente tomaram conhecimento do avivamento pentecostal, mas receberam-no individualmente de modo glorioso. Posteriormente, já amigos, e buscando juntos ao Senhor, receberam dele a revelação e a chamada missionária para virem para o Brasil. A partir daí, a mensagem pentecostal começou a ser anunciada em todos os estados brasileiros.

Gunnar Vingren participou de uma convenção de igrejas Batistas em Chicago. Essas igrejas aceitaram o Movimento Pentecostal. Ali ele conheceu outro jovem sueco que se chamava Daniel Berg, que também fora batizado com o Espírito Santo. Após uma ampla troca de informações, experiências e idéias, Gunnar e Daniel descobriram que Deus os estava guiando numa mesma direção, isto é, o Senhor desejava envia-los com a mensagem do Evangelho a terras distantes, mas nenhum dos dois sabia exatamente para onde seriam enviados.
Algum tempo depois, Daniel Berg foi visitar o Pr. Vingren em South Bend. Durante aquela visita, quando participavam de uma reunião de oração, o Senhor lhes falou, através de uma mensagem profética, que eles deveriam partir para pregar o Evangelho e as bênçãos do Avivamento Pentecostal. O lugar tinha sido mencionado na profecia: Pará. Nenhum dos presentes conhecia aquela localidade. Após a oração, os dois jovens foram a uma biblioteca à procura de um mapa que lhes indicasse onde o Pará estava localizado. Foi quando descobriram que se tratava de uma cidade do norte do Brasil.
No início do século XX, apesar da presença de imigrantes alemães e suíços de origem protestante e do valorosa trabalho de missionários de igrejas Tradicionais desenvolvidos aqui, nosso país era quase que totalmente católico. Quando Gunnar e Daniel chegaram ao Brasil em 19 de novembro de 1910, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social por meio da pregação de Jesus Cristo como único e suficiente Salvador da humanidade e a atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons. As igrejas existentes na época aqui, ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários, principalmente por causa de alguns irmãos que se mostraram abertos ao ensino Pentecostal.
A irmã Celina de Albuquerque, na madrugada de 18 de junho de 1911, foi a primeira crente aqui no Brasil a ser batizada no Espírito Santo, o que não demorou a ocorrer com outros irmãos em Cristo.O clima ficou tenso naquela comunidade, pois um número cada vez maior de membros de outras denominações ficaram interessados no poder do Espírito santo e visitavam a residência de Vingren e Berg, onde eram realizadas reuniões de oração.
O resultado disso tudo foi que os Batistas brasileiros da época rejeitaram as idéias trazidas pelos missionários suecos e excluíram do rol de membros o grupo que aderiu ao pentecostalismo.
Os missionários estrangeiros e demais aderentes passarem a reunir-se na casa de Celina de Albuquerque, e posteriormente fundaram a Missão da Fé Apostólica. Mais tarde a nova igreja brasileira filiou-se à AssembIies of God americana, adotando o nome de Assembléia de Deus em 18 de janeiro de 1918. Os missionários Gunnar e Daniel fundaram à Rua Siqueira Mendes nº. 67 na cidade de Belém do Pará, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus no Brasil.

A EXPANSÃO

A Assembléia de Deus de expandiu pelo Estado do Pará, alcançou o Amazonas, propagou-se para o Nordeste, principalmente atingindo as camadas mais pobres da população. Chegou ao Sudeste pelos idos de 1922, através de famílias de retirantes do Pará trazendo a nova denominação que surgira no Norte.
No Rio de Janeiro a igreja teve início em 1922, no bairro de São Cristóvão e ganhou impulso com a transferência de Gunnar em 1924 para a então capital da República.
Vingren era um homem loquaz que convencia moradores dos morros e demais bolsões para o Evangelho.
No dia 9 de outubro de 1924, foram batizados por imersão dez pessoas no rio Guaíba. Após esse batismo o missionário Gustavo Nordlund celebrou a Santa Ceia na capela da Rua Maryland, com os doze primeiros membros da igreja. Nesta mesma reunião foi organizada e constituída a Igreja Evangélica Assembléia de Deus do Estado do Rio Grande do Sul, com sede em Porto Alegre.
A influência sueca teve forte impacto na formação assembleiana brasileira, em razão da nacionalidade de seus fundadores que tinham suas posições como verdades imutáveis embasadas na Doutrina Bíblica, também da igreja pentecostal escandinava, principalmente da igreja Filadélfia de Estocolmo, que além de ter assumido nos anos seguintes o sustento de Gunnar e Daniel enviou outros missionários para dar suporte aos membros em seu papel de expandir o Reino de Deus no Brasil.
Em 15 de novembro de 1927, por direção divina, chegava na capital de São Paulo o abençoado casal Daniel Berg e sua esposa Sara, para aqui semearem a boa semente do evangelho de Jesus. O primeiro culto nesta cidade foi realizado na mesma data em uma casa alugada na Vila Carrão, um bairro distante do centro da cidade. Este culto teve a participação do casal de missionários suecos, Simon Lundgren e Linnea Lundgren, e é a data oficial da fundação da igreja em São Paulo.
Orando muito, eles prosseguiam com as reuniões. Porém, aos poucos, a vizinhança começou a tomar conhecimento dos cultos. Certo dia, quando estavam orando e cantando, uma senhora bateu à porta e convidaram-na para entrar. Perguntou-lhes se eram crentes, e eles responderam afirmativamente. Esta mulher contou-lhes que havia se convertido na Assembléia de Deus de Maceió, vindo depois para São Paulo. Em sua casa, vinha por muito tempo, com lágrimas, pedindo ao Senhor Jesus para que enviasse um servo seu para desenvolver a sua obra na cidade de São Paulo. O casal Berg compreendeu imediatamente que fora pelas orações desta irmã que o Senhor lhes enviara à capital paulista. Na família da mesma, haviam pessoas que estavam sedentas de salvação, que aceitaram o Evangelho com muita alegria. Muitos vizinhos começaram também a participar das reuniões, recebendo de bom grado a Palavra do Senhor e a Cristo como seu Salvador.
Alguns dias depois, um grupo de crentes que haviam saído de outra denominação por discordância doutrinária, passaram para a nova igreja. Entre eles estavam: Ernesto Ianone e a sua esposa Josefina; Vitaliano Piro e esposa; José Piro e esposa Elvira; Filomena Salzano e seus filhos Miguel e Luiz Salzano. Ainda faziam parte deste grupo, familiares da irmã Regina Antunes, de saudosa memória, que em fevereiro de 1989 passou para a eternidade: sua mãe Angelina Augusta Barretta e seu irmão Pedro Barretta Hallepian. Nascia assim, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus, em São Paulo, e que teve como seus pastores: Daniel Berg, Samuel Nystron, Samuel Hedlund, Simon Lundgren, Francisco Gonzaga da Silva, Bruno Skolimovski, Cícero Canuto de Lima.
Desde 1930 quando de realizou o concílio da igreja na cidade de Natal, a Assembléia de Deus no Brasil passou a ter autonomia, sendo administrada exclusivamente pelos pastores residentes no Brasil, sem contudo perder os vínculos com a igreja sueca. E a partir de 1936 a igreja nacional passou a se alinhar mais com as Assemblies of God dos EUA.
Em poucas décadas a Assembléia de Deus, a partir de Belém do Pará, começou a penetrar em todas as vilas e cidades até alcançar grandes centros urbanos como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, e não parou mais. Em virtude de seu fenomenal crescimento, os Pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro.
Consciente de sua missão, a Assembléia de Deus não prevalece do fato de ter entre oito milhões de membros. E tendo um considerável poder político opta por agir de forma sacerdotal e profeticamente. Por um lado protestando contra as iniqüidades sociais e por outro não deixando de sua responsabilidade pastoral.
Atualmente, em todas as unidades da Federação, as Assembléias de Deus passaram a ser tratadas com apreço pelas autoridades, e de seu próprio seio vem surgindo importantes lideranças, por exemplo o Pastor Paulino Svetz, pastor presidente da Assembléia de Deus de Pirajuí.
A partir dos pobres e necessitados do subúrbio e das zonas rurais, a igreja que antes fora integrada quase que totalmente por pessoas de classes mais humildes, caminhou também para as áreas nobres das cidades. Incontável número de líderes comunitários, vereadores, prefeitos, deputados federais e estaduais, etc., são agora membros das Assembléias de Deus. A exemplo disso é que a primeira mulher evangélica eleita para o Senado é uma ex-favelada originária da igreja pentecostal pioneira.
A Assembléia de Deus é uma igreja evangélica pentecostal que prima pela ortodoxia doutrinária. Tendo a Bíblia como a sua única regra de fé e prática. Acha-se comprometida com a evangelização do Brasil e do mundo, conformando-se plenamente com as reivindicações da Grande Comissão. O Credo de Fé realça a salvação pela fé no sacrifício vicário de Cristo, a atualidade do batismo no Espírito Santo, a atualidade dos dons espirituais e a bendita esperança do arrebatamento da igreja.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s